segunda-feira, 6 de março de 2017

UM VAZIO QUE TRAZ CALMA - SÓ UM VAZIO ENORME!




Enquanto houver céu e mar; Enquanto houver
nascer de sol e ocasos - haverá vida a pulsar




Por trás de cada nuvem existe um sol - o nosso sol - escondido, a espreitar, lembrando que, ameaças à parte, ele está lá a brilhar.



Um canto, num dos muitos cantos deste mundo, onde apenas a natureza vozeia; Onde, no silencio invasivo de uma alma, se propaga um vazio calmo se acinzentado - uma paz submersa.




Na velocidade de uma vida que não se coíbe de passar, de voar, de se esgotar, o céu veste-se de cinza e branco: onde a mão do sol, por trás, põe a sua luz





Um quadro da natureza que jamais mão humana conseguiu reproduzir; Jamais conseguirá, porque a mão que o pintou é única- inigualável




Cai o dia, cai a alma, cai o medo, a esperança, a dor; Cai o mundo num fabuloso suspiro de beleza




Paz; Esta paz que invade e preenche, deixando espaço para a solidão, para o vazio, para um indestinado coração que bate sem sentido ou destino. Mas paz - uma paz imensa - apaziguadora.



O caminho faz-se de estrada e nuvens em céu de oco azul - tela que se olha - tela que se absorve e colhe, tela que se vive com um vazio pacifico na alma e no coração. 



Entardece nas águas de uma mansidão que devora o espaço, que acalma a alma e preenche o coração vacante. Apenas o vazio invade, sem alarde, sem dor... Apenas e só; Vazio.

quarta-feira, 1 de março de 2017

PENSANDO OS PENSAMENTOS DE OUTROS












Imagens retiradas da net

DEAMBULAÇÕES PELO MAR

Há mares e marés; Há céus de sonho e momentos de paz

O céus vestiu-se de cinza e o mar de tristonho requebro

Na areia a marca do tempo... O negro que os homens
pintam numa obra Maior.

Como um beijo doce, o mar enrola-se no areal.
E a areia deleita-se, apaixonada

Quando a noite cair, a vigia luminosa estará lá,
presente, para recordar o dia que passou.

A mão divina faz prodígios; Este é, apenas, um
deles... Um mar de prata e azul.

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

AGNÓSTICO ECLIPSE DE BRUMA






Parece um ser com vida e vontade própria,
parece um dos seres encantados que abundam
nas lendas … mas é apenas este nevoeiro odoroso
que adorna a serra, escondida nos seus mistério



Onde está o monte da lua?
Por detrás do vestido espesso e leitoso que o envolve.
O misticismo e o secretismo desta vila
transpiram por cada poro, de cada folha, de cada gota
de orvalho… E chuviscos com sabor a mar

O centro da vila olha curioso para as faldas de uma serra
que desapareceu dos seus olhos. Eclipsada no manto
subindo do mar cheio de algas e conchas… Imaginárias

UMA MANHÃ DE INVERNO E TRANSCENDENCIA


Almas ascendentes com sabor a mar


Aprendendo a Estabilidade - Imobilidade - Durabilidade


Uma alma em equilíbrio e ... o mar por companhia


Há um Pintor único que nos dá nasceres do astro rei assim... Deus.


O mar traz neve, traz vida, traz paz - branca e livre

Uma barra de neve salgada enfeita a areia invernal

Neve: neve branca e suave...Apenas salgadiça de iodo e algas

Um beijo do mar ao vento matinal


domingo, 16 de outubro de 2016

FORÇAS DE VIDA





OS DEDOS DE DEUS.
Sobre as águas onde se escondem todas as penas,
todas as dores.

PERTO DE CADA CORAÇÃO.
O Pai vela por cada alma, deixando a Sua lua
como caminho de vida.

NASCE O SOL.
Em mais um dia de nuvens, para lembrar
que, por mais negras que sejam, a força
da luz impera.


ONDE ACABA A TERRA .
O mar abre as portas da sua vastidão...
O MAR COMEÇA.
E lembra aos mortais a sua fragilidade.

ONDAS DE ESPANTO.
O mar entrega-se às rochas, porque
sem elas fica incompleto.
PAIXÃO ETERNA.
Na forma de espuma, alva e pura.
O mar e a terra.
FORÇAS DIVINAS.
Só as mãos de Deus podem moldar e dar vida
à rocha dura

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

ALVORADA NUM BALÃO



Alvorada de magia na simplicidade
de um balão.











Os homens dão alma ao balão. Só assim se pode elevar no ar... Suave como uma pluma.










Já se nota o sol que beija, docemente, esta "passarola" que o "Gusmão" não foi capaz de pôr no ar, mas outras mãos o fizeram.
Sonhos que voam livres aprisionados no ar de um balão...











É esta a chama que o aquece. É esta a chama que o eleva do chão. É esta a chama que o mantém a pairar no silencio da manhã que se levanta...











Olha o sol! Este fabuloso e único sol que no horizonte espreita. Que do horizonte se levanta, espreguiçando-se como gato amodorrado, mas vivo, brilhante. Bola de fogo inigualável.












Lá em baixo a terra. Aos nosso pés a terra, fértil, verde, por vezes tão dura e madrasta; outras, tão mãe amorosa e benfazeja.  E nós, sobrevoando a quietude dos cheiros e dos orvalhos perdidos...








A plenitude que se sente na barquinha de um balão sobrevoando a vida. Ao sabor da aragem, ao sabor das aves, ao sabor da aurora...Ao sabor de mim...















As vinhas "passam" inertes a meus pés e transportam-me ao mosto que em breve encherá o ar após a "pisa". 
As vinhas "passam" e eu fico presa a elas; cacho de uvas por vindimar...













Um sombra projectada na planície. Como o outro lado do espelho assim um desenho de balão, recortado na planura.













A água; que rega, que dá vida, que refresca, que embeleza e empresta cor e serenidade à paisagem. A água, de uma beleza invulgar, nos recortes de uma barragem que irriga e se espraia preguiçosa.






O "Roxo", agora um pequeno lago com meandros acastanhados e apontamentos verdes de vida. Barragem que o Estio foi secando, mas que alegra a vista o seu reflexo na lonjura. 










Do alto os verdes e os castanhos são uma tela magnifica; um pintor Maior pintou-a, deu-lhe odor, deu-lhe luz, deu-lhe forma. Acima de tudo deu-lhe vida! 










Paisagem fabulosa, onde a mão do homem e a natureza se casam em harmonia.